Mulher_corrida_natureza

Os principais benefícios da corrida

Nos últimos anos a corrida tornou-se bastante popular entre os praticantes de atividade física.

O OMS – Organização Mundial da Saúde recomenda 30 minutos de exercício por dia ou 150 minutos de atividade por semana para te manteres saudável e a corrida é uma ótima oportunidade para te exercitares e melhorares a tua saúde, física e mental.

No estudo realizado pela Direcção-Geral de Saúde em Portugal, cerca de 16% dos praticantes de atividade física até aos 35 anos praticam corrida regular.

E a verdade é que a corrida tem inúmeros benefícios, tais como:

  • Melhora na aptidão cardiovascular;
  • passadeira, Fittest, corridaRedução e regularização do colesterol;
  • Diminuição de massa gorda;
  • Diminuição do stress e ansiedade;
  • Melhora a coordenação motora;
  • Aumento da resistência física;
  • Redução da sensação de cansaço no dia a dia;
  • Prevenção de problemas envolvendo o coração e o sistema respiratório.

 

Contudo, a corrida é uma tarefa exigente, que envolve a sinergia de diversos grupos musculares em simultâneo, tais como os isquiotibiais, os glúteos, os quadríceps, os músculos abdominais, entre outros não menos importantes, que contribuem para a estabilização no impacto com o solo.

Por tudo isto, torna-se importante que complementes a corrida, com o reforço de todos os músculos corporais através de exercícios de reforço muscular e hipertrofia, que levem a um incremento da tua força muscular, resistência e flexibilidade, pois são fundamentais para uma melhor resposta dos ossos, músculos e articulações propulsores da corrida.

 

Finalizada a corrida, é importante um retorno à calma gradual, para que a frequência cardíaca volte ao normal. Continua a caminhar um pouco, terminando com uns alongamento e um respirar profundo e lento.

Começa agora a melhorar o teu desempenho físico e a tua qualidade de vida. Para te ajudar, a Fittest possui um linha diversificada de passadeiras que se adaptam a cada situação, conheçe-a aqui.

Boas Corridas!

Fonte: WHO; DGS

Tags: No tags

Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *